O Peixe

BlackBass

Os primeiros exemplares foram introduzidos no Brasil em 1922 e hoje são encontrados em represas, lagos e açudes nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

A espécie introduzida foi o Largemouth Bass (Micropterus salmoides) que pode alcançar mais de 10 kg, entretanto, o tamanho está ligado diretamente ao ambiente, isto é, disponibilidade de alimentos ricos em proteínas e condições de água (temperatura, pH e oxigênio), sendo que a média de exemplares em nossas águas varia entre 1kg e 2kg.

Hoje em dia sabe-se que a sub-espécie conhecida como Micropterus salmoides floridanus cresce mais rapidamente e nos EUA existem muitas pesquisas na tentativa de desenvolverem peixes maiores (híbridos) combinando as melhores características das espécies (F1 Hybrid).


O Black-Bass é um predador por natureza que se alimenta de pequenos peixes, insetos, larvas, rãs e outros seres encontrados em seu domínio. Preferem águas limpas e calmas, mas se adaptam bem a diferentes ambientes, podendo ser encontrados em rios e até no mangue em canais de água salobra. Procuram se abrigar em estruturas submersas tais como troncos, pedras, galhadas, degraus (drop-offs), etc… Toleram temperaturas entre 3ºC e 40ºC, mas a faixa ideal para seu desenvolvimento fica entre 18ºC e 27ºC. Em temperaturas muito baixas diminuem sua atividade. O nível de oxigênio mínimo da água é de 2,0mg/L e suportam variações de pH entre 5 a 9.

Sua desova ocorre de setembro a novembro e mesmo em cativeiros reproduzem-se naturalmente sem intervenção humana. Os machos constroem os ninhos a cerca de 1m de profundidade com aproximadamente 40cm a 65cm de diâmetro. Dependendo do tamanho e idade da fêmea, ela pode depositar até 100.000 ovos; o tempo de incubação varia de 5 a 10 dias de acordo com a temperatura da água; os alevinos se alimentam de zôo-plâncton e o macho cuida vorazmente de seus filhotes por algumas semanas atacando qualquer coisa que se aproxime do seu território. Não existe dimorfismo sexual, sendo muito difícil distinguir um macho de uma fêmea baseado somente nas características externas.

Outro dado interessante é que as fêmeas crescem muito mais rapidamente do que os machos.

Conhecer as características do peixe e seus hábitos é muito importante, principalmente para a escolha dos pontos de pesca, entre os muitos fatores a serem analisados podemos destacar:

– Estrutura: como todo predador, o Black-Bass procura se abrigar em estruturas onde ele possa se camuflar para caçar e se proteger de possíveis predadores. Troncos, galhadas, drop-offs e locais de vegetação aquática costumam ser ótimos pesqueiros.


– Luminosidade: embora os olhos do Bass ajustem-se naturalmente as diferentes condições de luz, preferem locais de pouca luminosidade. Principalmente em dias com céu aberto, procure pescar em estruturas com sombra.

– Cor da água: é um dos principais fatores na escolha da cor e tipo da isca, não existe uma regra absoluta, mas geralmente em águas limpas iscas de cores claras e menores (menor volume) produzem melhores resultados. Em águas escuras, cores mais escuras e em águas sujas, cores cítricas (brilhantes) e iscas maiores são as mais indicadas.

– Oxigênio: o nível de oxigênio dissolvido na água está diretamente ligado a temperatura ambiente, em dias quentes o nível de oxigênio tende a diminuir, como conseqüência o peixe também diminui sua atividade. Nessas situações procure pescar nas proximidades de fontes de oxigênio (bocas de rios, locais de vegetação aquática, etc…).

– Temperatura: a temperatura da água, geralmente dita o nível de atividade do peixe, sendo a condição ideal próxima aos 23ºC. Em dias com temperaturas muito baixas ou quentes, o peixe tende a ficar menos ativo, muitas vezes ficando suspenso na meia-água.


A pesca do Black-Bass fascina, pois o peixe assume diferentes comportamentos de acordo com as condições climáticas e estação do ano. É um peixe que pode ser capturado com praticamente todos os tipos de iscas artificiais, sendo que as iscas softs (minhocas artificiais) possuem certa preferência, mas os plugs (superfície, meia-água e fundo) também são muito eficazes em certas ocasiões. Após ser fisgado, proporciona ao pescador belos momentos de briga, com muitas corridas e saltos espetaculares.

No Japão e principalmente nos EUA, o Black-Bass é a vedete da maioria dos pescadores esportivos e sua pesca movimenta bilhões de dólares por ano em torneios, revistas, programas de TV, infra-estrutura hoteleira, guias de pesca, mas principalmente no desenvolvimento e comércio de materiais de pesca, tais como varas, carretilhas, linhas, iscas artificiais e barcos.
Infelizmente o Black-Bass é considerado um peixe exótico no Brasil e não existe nenhuma lei que o proteja, nem mesmo na época de sua desova, por isso é muito importante o papel dos pescadores na preservação da espécie, adotando sempre a prática do pesque e solte.  

 

Texto do site Bass Online